Requerimiento Energético de pacientes quemados pediátricos: comparación de diferentes formulas predictivas

Autores/as

  • Andressa Maranhao de Arruda Programa de Residência em Nutrição Clínica - Instituto de Ciências Biológicas/Universidade de Pernambuco, Recife-PE.
  • Bruna Lucía de Mendonça Soares
  • Patrícia Calado Ferreira Pinheiro Gadelha

DOI:

https://doi.org/10.12873/402andressa

Palabras clave:

antropometría, quemaduras

Resumen

Introdução: Crianças são mais vulneráveis a queimaduras devido as habilidades físicas e motoras em desenvolvimento. Na prática clínica são utilizadas equações preditivas para a determinação do gasto energético total. Objetivo: Comparar os requerimentos energéticos obtidos por diferentes equações preditivas em pacientes pediátricos queimados de uma Unidade de Referência em Recife-PE. Métodos: Estudo transversal realizado com pacientes divididos em três grupos: 0 a 5 anos, 5 a 10 anos e 10 a 18 anos, internados de março a outubro/2019 na Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital da Restauração Governador Paulo Guerra. Foram coletados dados em prontuário e ficha de avaliação nutricional. As necessidades energéticas foram estimadas utilizando diferentes fórmulas preditivas.

Resultados: Dos 117 pacientes, 53,8% eram do sexo masculino. A mediana de idade e tempo de internamento foi de 2,6 (1,4-6,7) anos e 7 (5,0-10,5) dias, respectivamente. Todos os pacientes apresentaram lesões de 2º grau com mediana de 6% de superfície corporal queimada. No grupo 1, o valor energético obtido por Schofield utilizando fator estresse mínimo e médio, mostrou-se semelhante ao de Davies & Liljedahl e Mayes, respectivamente. No grupo 2, o valor energético obtido por Schofield utilizando os três fatores de estresse foi diferente das demais. No grupo 3, o valor energético obtido por Schofield utilizando fator estresse mínimo, foi semelhante ao de Harris Benedict modificado por Long e Curreri. Discussão: Estudo pioneiro que compara as diferentes fórmulas preditivas com a equação mais recomendada pela literatura. A maioria das equações preditivas estudadas não concordam com a recomendada, talvez por apresentarem apenas o peso corporal como variável comum. Conclusão: A maioria dos valores energéticos obtidos pelas fórmulas foram diferentes entre si, o que pode ser explicado pelos distintos fatores que compõem essas equações.

Descargas

Publicado

2020-08-29

Cómo citar

Maranhao de Arruda, A., Soares, B. L. de M., & Pinheiro Gadelha, P. C. F. (2020). Requerimiento Energético de pacientes quemados pediátricos: comparación de diferentes formulas predictivas. Nutrición Clínica Y Dietética Hospitalaria, 40(2), 10-16. https://doi.org/10.12873/402andressa

Número

Sección

Artículos originales